No ano de 1999, um duplo milagre, que ocorreu na capital de São Paulo, levaria o Beato Frei Galvão dos altares do Brasil para os altares de todo o mundo. Os protagonistas desse milagre foram a paulistana Sandra Grossi de Almeida Gallafassi e seu filho Enzo.

Por causa da natureza de seu útero de pequenas dimensões (bicorne), Sandra não era capaz de segurar uma criança em seu ventre e levar uma gravidez até o final. Contudo, depois de dois abortos, engravidou uma terceira vez e, apesar do prognóstico médico de uma gravidez de alto risco para mãe e filho, ela estava decidida a manter a gestação. Por orientação de parentes, Sandra recorreu às "pílulas de Frei Galvão" e fez uma novena em louvor ao Beato. Com as pílulas e a novena, sem as dores e problemas das vezes anteriores, a gestação evoluiu normalmente até a trigésima segunda semana, quando ocorreu parto cesário. A mãe nada sofreu. Porém o menino nasceu pesando 1,995 gr. e medindo 0,42 cm., com o problema respiratório da membrana hialina do 4o.grau, o tipo mais grave.

Suplicando mais uma vez a intervenção de Frei Galvão, para felicidade dos familiares e surpresa dos médicos, o quadro clínico teve rápida melhora, e logo a criança deixou o hospital. O êxito desse caso extraordinário foi atribuído à intercessão do Beato Frei Galvão. Desde o início da gravidez até a cura da criança, as orações de Sandra e sua família foram feitas com fé e com a certeza de que Frei Galvão continuaria a socorrer-lhes como protetor das grávidas e seus bebês, missão que o santo frade vem cumprindo desde o tempo em que ainda vivia.

Os Peritos Médicos da Congregação das Causas dos Santos aprovaram por unanimidade a cura como "cientificamente inexplicável no seu conjunto, segundo os atuais conhecimentos científicos".

Com a aprovação do milagre pela Santa Sé, marcou-se para 11 de maio de 2007 a canonização do Santo de Guaratinguetá - Santo Antônio de Sant’Anna Galvão -, em Missa celebrada pelo Papa Bento XVI, em São Paulo, uma exceção feita pelo Santo Padre, como homenagem ao Brasil, que é o maior país católico do mundo.

Vindo a São Paulo, a Aparecida e a Guaratinguetá, a terra que deu ao mundo e aos céus o primeiro santo brasileiro nos quinhentos e sete anos da história, confirmou-se a profética inscrição em bronze, de 1939, aos pés de Frei Galvão, no Convento Franciscano de Guaratinguetá: "O Santo é o melhor presente de Deus ao Mundo".