Um dos primeiros atos de Frei Galvão como sacerdote foi o de fazer sua consagração como “servo e escravo” de Nossa Senhora, ato que assinou com seu próprio sangue na data de 9 de março de 1766. Esse episódio, dois séculos mais tarde, foi reproduzido em um quadro a óleo, de autoria do franciscano Frei Geraldo Roderfeld, O.F.M, que se acha em exposição no Hospital e Maternidade Frei Galvão, em Guaratinguetá-SP.

Em São Paulo, logo se destacaram os dotes de oratória de Frei Galvão, que foi eleito pregador, confessor de seculares, porteiro e confessor do Recolhimento de Santa Teresa.

Apresentou nesses misteres um desempenho tão destacado, que a Câmara Municipal não demorou em considerá-lo \"um novo esplendor do Convento\".